terça-feira, junho 12, 2007

OS ANOS DE HOLLYWOOD - UMA BIOGRAFIA


HUGO CALDAS

Meus caros. Acabo de receber um "press release" do livro de David Bret, "Elvis - Os Anos de Hollywood". Os fãs de ELVIS PRESLEY que me perdoem. Não sou nenhum iconoclasta mas receio que muita gente boa vai ficar chocada com sua nova biografia, recém saida do forno, onde se afirma que o grande pop-star tinha seus deslizes ao "saltar de marcha," "cair do banco"... enfim, o Rei do Rock teve lá seu secreto "gay affair." Tivesse o acontecido ocorrido nos dias de hoje onde passeatas gays, já são corriqueiras, acontecem na maior, para embaralhar e infernizar o trânsito já caótico de São Paulo...

De acordo com "ELVIS: OS ANOS de HOLLYWOOD" por DAVID BRET, o seu empresário Coronel TOM PARKER, autoritário como todo bom coronel, mesmo na reserva, mas ganancioso de carteirinha, o chantageava mantendo-o em virtual escravidão, ameaçando contar pra Deus e o mundo, os aconchegos amorosos do seu romance secreto com um ator chamado Nick Adams.

Bret afirma que Parker mantinha estas informações secretas sobre Elvis por cima da cabeça dele como uma espada de Dâmocles. Se Elvis não fizesse direitinho tudo o que o coronel exigia ele daria com a língua entre os dentes. Naquele época, a carreira de Elvis iria seguramente para o vinagre. Daí o motivo, do total controle, obsessivo até, do empresário Parker sobre Elvis. Daí a razão pela qual o coronel Parker mantinha as rédeas curtas com o seu pupilo, no final das contas, uma verdadeira mina de ouro.

A virada (epa) sexual de Presly começou como uma "fixação de adolescente" pelo ator JAMES DEAN que terminou em obsessão, diz o livro. O Rei viu o "REBEL WITHOUT A CAUSE - Juventude Transviada" umas 44 vezes. Finalmene ele e Nick Adams que estava o elenco se tornaram amigos íntimos.

Adams afirmou que tivera um um breve "colóquio amoroso" com o Rei depois que Elvis concordou em ser sua "companhia" na festa da pré-estréia do filme de Nick, "O ÚLTIMO VAGÃO."

Presley, até àquela data um símbolo sexual, que levava milhares e milhares de garotas aos paroximos do êxtase, não conseguia, embora tentasse repetidas vezes, arranjar um papel em seu primeiro filme, "LOVE ME TENDER" para Nick.

Em 1958, "Nick Adams e Elvis ficaram no mesmo quarto do mesmo hotel em Nova Orleans enquanto Elvis filmava "KING CREOLE," revela o autor.

Muitos jornalistas bem que tentaram furar o bloqueio do empresário e publicar algo mas foram impedidos pelo intrépido coronel Parker. O outrora rebelde de uma geração, a pedra fundamental de um movimento... bem que podia passar sem essa mancha em sua biografia.

newbulletinboard.blogspot.com
hucaldas@gmail.com

5 comentários:

Anônimo disse...

Nossa Senhora!! O Rei era Rainha!!! Mas me diz uma coisa: o coronel, que tanto infernizou a vida de Elvis, não seria também prejudicado se todos soubessem dos "amores" dele? Afinal, se ele ganhava com Elvis, perderia também com a suposta revelação. Elvis, além de biba, era besta!

Unknown disse...

Noticia idiota e comentário mais idota ainda, como um cara que se chama "Huguinho" pode falar de Elvis Presley e põe o nome de Nossa Senhora, besta é você, seu idiota!!

Anônimo disse...

Oh, Bastiana, ficou brabinha, santa? Fique não, isso é coisa de TPM mesmo.
Pois é, o Rei era rainha. Deu pra tí?
Fique sabendo que Huguinho é muito mais macho que as Sebastianas da vida e as viuvas da Rainha Elvis.
Hugão

Anônimo disse...

e qual é a mancha senhor caldas? a homoafeividade dele! ou fato do coitado não ter tido a coragem de enfrentar preconceitos ou melhor conceitos tão retrógrados daquela época e que infelizmente ecoam até hoje? senhor Hugo Caldas já foi de tudo um pouco, até homofóbico

yanmaneee disse...

yeezy
adidas ultra boost
coach factory outlet
golden goose
moncler
off white jordan 1
yeezys
nike air max 90
cheap jordans
longchamp bags