sábado, março 30, 2013

Sai de perto...


Eu prendo e arrebento! Eu mato e esfolo! Renan venha já aqui! Vou cuspir no chão! Se não chegar antes do cuspe secar, você vai ver! Quem manipulou a minha fala sobre a inflação?!

Golpistas de araque

Nelson Motta, O Globo

 Zé Dirceu e Rui Falcão não devem ter notado, mas a mesma pesquisa do Ibope que deu 76% de aprovação à presidente Dilma revelou que 38% dos entrevistados acham o noticiário da mídia favorável ao governo, 34% consideram neutro, e só 11% avaliam como negativo. Que imprensa golpista de araque é essa que trata tão bem o governo petista? E ainda precisa ser controlada?

Mais de 500 emissoras de televisão, 11 mil rádios, 5 mil revistas e centenas de jornais, sem contar os incontáveis sites e blogs, inúmeros mantidos por verbas oficiais, são a prova viva da liberdade e pluralidade de opinião no Brasil.

Qualquer proposta de real democratização da mídia começa pela proibição de que políticos controlem meios de comunicação. E para isto nem é preciso uma nova lei, basta aplicar com rigor a que está em vigor, e juízes que obriguem Sarney, Renan, Collor, Jader Barbalho e todos os políticos — e seus parentes e laranjas — que têm rádios, jornais e televisões, a cumpri-la.

Na Venezuela, a Globovision, ultima rede de televisão que ainda fazia a possível oposição a Chávez, jogou a toalha e foi vendida a um empresário chavista. Na Argentina, os empresários kirchneristas já dominam a maior parte dos meios de comunicação. E tanto a mídia governista platina como a bolivariana faturam a parte do leão das verbas oficiais de publicidade, que crescem a cada ano. É esse “controle social” que eles sonham para o Brasil.

 Mas mesmo se um dia essa sonhada “Lei Dirceu” for discutida, já será tarde demais: a internet será acessível a todos e incontrolável, dando à liberdade de informação e opinião um poder que tornará qualquer tentativa de controlar jornais, revistas e televisões tão defasada quanto inútil.
Não há conflito de opinião, calúnia ou difamação, em qualquer mídia, que não possa ser resolvido na Justiça, onde cada um responde pelo que diz e faz. Já são muitos, serão cada vez mais, os mentirosos e difamadores que pagam pesadas indenizações e são obrigados a humilhantes retratações públicas.
Mas nenhuma Lei de Meios teria evitado a denúncia, a cobertura, o julgamento e a condenação do mensalão.

Nelson Motta é jornalista

Clipe do Dia



Do maior bom gosto, verdadeiro mimo. Um belo regalo para pessoas de fino trato...

sexta-feira, março 29, 2013

Estoura mais um escândalo sobre o novo Papa

Que a Presidente da Argentina e seu marido jamais gostaram do Cardeal Jorge Mario Bergoglio, que se tornou Papa, todo mndo tá careca de saber.

A razão é que ele fez um pronunciamento duro contra o casal, quando era Cardeal, na Catedral de Buenos Aires e isso os irritou demais!

Vingativa, essa mulherzinha presidente fez de tudo para macular a imagem do Papa Jesuíta, mas não colou a sua tentativa de caluniá-lo, acusando-o de delator do Regime Militar.

Porém ela não desiste e agora descobriu e está divulgando aos quatro ventos aquele que ela chama de o maior escândalo da Igreja Moderna:

Descobriu que o Papa teve dois filhos que foram criados no Brasil!

Abre-se uma crise sem precedentes na Igreja de Roma!

Segue a foto comprobatória, que foi estampada na primeira página do jornal portenho EL CLARÍN:



Sexta-Feira da Paixão



... vem de longe...

João Pessoa é a 10ª cidade mais violenta do mundo, aponta pesquisa

ONG mexicana divulga para todo o mundo o ranking das cidades mais violentas pesquisadas em 189 países; 15 são brasileiras e entre as 10 primeiras, duas são nordestinas
 

Wanja Nóbrega
A Rede de TV norte-americana CNN divulgou nesta quinta-feira (28) o ranking das 100 cidades mais violentas do mundo. Dados levantados pela organização não governamental mexicana Conselho Cidadão para a Segurança Pública e Justiça Criminal apontaram João Pessoa como a 10ª cidade onde mais se praticam homicídios violentos, levando em conta a proporcionalidade da população.

Os dados são de 2012, quando a capital paraibana registrou 518 homicídios, com uma taxa de 71,59 assassinatos por cada grupo de 100 mil habitantes.

Em 2011, João Pessoa ocupava a 29ª posição no mesmo ranking, após fechar o ano com 583 assassinatos, sendo 48,64 para cada grupo de 100 mil habitantes.

Mesmo tendo apresentado uma pequena redução de um ano para outro, a cidade acabou ganhando mais destaque negativo na lista. A explicação é que as outras cidades mostradas pela ONG mexicana intensificaram ações para reduzir o número de assassinatos intencionais e violentos.

Como é o caso de Maceió, capital de Alagoas. No ranking de 2011, a cidade aparece ocupando o vergonhoso terceiro lugar, com 1.564 homicídios registrados e a absurda taxa de 135,26 ocorrências para cada grupo de 100 mil habitantes.

Em 2012, após reforço nas ações de segurança pública, inclusive com interferência da Força Nacional de Segurança, Maceió reduziu para 801 homicídios (85,88/100 mil habitantes). Mesmo assim, ainda figura na relação divulga nesta quinta com no vergonhoso sexto lugar.

Outras 15 cidades brasileiras aparecem na relação das 50 cidades mais violentas do mundo. A pesquisa levou em conta dados oficiais pesquisados em 189 países, alguns inclusive em conflitos e guerras civis. Mesmo assim, o Brasil, que sediará eventos esportivos internacionais, surge como o mais violento entre todos os pesquisados.

Conhecido internacionalmente por ser um país dominado pelo crime, o México tem apenas nove cidades entre as mais perigosas, de acordo com a ONG.


Leia mais em: .
http://portalcorreio.uol.com.br/noticias/mundo/america-latina/2013/03/28/NWS,221749,9,290,NOTICIAS,2190-JOAO-PESSOA-10A-CIDADE-VIOLENTA-MUNDO-APONTA-PESQUISA.aspx

Clipe do Dia


Tem apenas 17 aninhos... quem se habilita?

quinta-feira, março 28, 2013

UMA LUZ NO FIM DO TÚNEL

A vida não é feita apenas de Renans, Lulas e Dirceus...embora pareça!
Honestidade: elogiado corredor que se negou a vencer líder, que parou por engano   

 


O atleta espanhol Ivan Fernández Anaya, de 24 anos, não venceu a prova de cross country de Burlada, em Navarra, no último dia 2, mas até hoje está sendo cumprimentado, elogiado, aclamado por sua atitude de honestidade durante o evento.
   
O atleta queniano, Abel Mutai, medalha de ouro nos 3000m com obstáculos em Londres, estava prestes a ganhar a corrida. Mas parou no lugar errado, achando que tinha alcançado a linha de chegada.
   
Ivan Fernández Anaya, o segundo colocado, se aproximou e, em vez de ultrapassá-lo, alertou o líder sobre o equívoco e o conduziu para confirmar sua vitória. Em outras palavras Ivan negou-se a conquistar a prova. Ele estava a 10 metros da bandeira da chegada e não quis aproveitar a oportunidade para acelerar e vencer.
   
Gesticulando, para que o queniano compreendesse a situação e quase empurrando-o levou-o até o fim, Ivan Fernandez deixou o colega vencer a prova como iria acontecer se ele não tivesse se engado sobre o percurso.
   
 


Ivan, que é considerado um atleta de muito futuro (campeão da Espanha nos 5.000 metros, na categoria há dois anos) ao terminar a prova, disse:

- "Ainda que tivesse me dito que ganharia uma vaga na Seleção espanhola para disputar o Campeonato Europeu, eu não teria me aproveitado. Acho que é melhor o que eu fiz do que se tivesse vencido nessas circunstâncias. E isso é muito importante, porque hoje, como estão as coisas em toda sociedade, no futebol, no sociedade, na política, onde parece que vale tudo, um gesto de honestidade vai muito bem. "

Dias depois do ocorrido, a história continua sendo exaltada no noticiário e nas redes sociais. Neste sábado, em seu blog, Fernández comentou a repercussão de sua atitude, que continua sendo elogiada duas semanas depois.

- "Hoje está sendo um dia especial para mim - ou melhor, muito especial - nunca pude pensar que meu gesto com Mutai chegasse aonde está chegando. Estou em uma autêntica nuvem, são muitos os comentários, entrevistas, reportagens sobre o sucedido. Queria agradecê-los por tudo o que vocês fizeram por mim", escreveu.

O que chamou a atenção de todos foi algo que deveria ser básico no ser humano, mas tem sido exceção: a honestidade.

- "Eu não merecia ganhá-lo. Fiz o que tinha que fazer", afirmou Fernández em declaração reproduzida pelo jornal 'El País', da Espanha.
   
Com informações da Folha.

COZINHA DESNUDADA - SOBRE RESTAURANTES



CHEFS BRASILEIROS DISSECAM OS BASTIDORES DOS RESTAURANTES E REVELAM POR QUE SE DEVE EVITAR PEIXES ÀS SEGUNDAS, BRUNCHESE O PRATO DO DIA.

RESTAURANTES SÃO LOCAIS ANTAGÔNICOS
 

Dois mundos opostos convivem em torno de um objetivo comum: empanzinar o cliente. De um lado, o salão, com suas toalhas imaculadas, musiquinha ambiente no tom certo, iluminação adequada e a polidez dos garçons. De outro, no interior das cozinhas, fumaça, suor 
(a temperatura chega a 60 graus), barulho e brigas, muitas. Há um pacto informal entre
cozinheiros, ajudantes e lava-louças sobre o que ocorre nos bastidores dos restaurantes.
 

No ano passado, o chef americano Anthony Bourdain, do Les Halles, bistrô francês de Manhattan, rompeu o silêncio ao publicar suas memórias em Kitchen Confidential.
 

O livro virou best-seller (a primeira edição ficou 14 semanas na lista de mais vendidos do New York Times), mas provocou a ira de colegas ao desnudar o obscuro mundo das cozinhas.
 

Sem medir as palavras, Bourdain revela como chefs transformam sobras em pratos do dia, conta que servem peixe velho às segundas-feiras e consideram fãs de carne bem passada a segunda raça mais desprezível do planeta, atrás apenas dos vegetarianos. 
Bourdain também descreve as... 

Leia mais em:  http://www.aarffsa.com.br/cartas/20031300.pdf

O Rio de Janeiro continua vil

Ipojuca Pontes

O Rio de Janeiro não é Estado nem  cidade, mas, sim, uma vasta agência de publicidade, no geral a serviço da sedução e do engodo. Em matéria de propaganda enganosa, o Rio ganha fácil de Salvador-Bahia, outro osso duro de roer. Como não poderia deixar de ser, o veículo que incensa o balneário como “divino maravilhoso” é a irrefreável Rede Globo de Televisão, secundado por O Globo, jornal que em recente pesquisa apontou o Rio como uma “cidade feliz”. Aqui, um dado revelador: para o matutino, hoje comandado pela fina flor do esquerdismo festivo, a figura emblemática da felicidade carioca é a do falso malandro Zeca Pagodinho, sambista de segunda categoria (se comparado, por exemplo, com o mineiro Ataulfo Alves, o poeta do perdão, ou Moreira da Silva, criador do samba de breque, ou mesmo ao pernambucano Bezerra da Silva, alto partideiro da vagabundagem dos morros cariocas), processado como “traíra” por uma cervejaria com a qual assinou mas não cumpriu contrato. Outro exemplar escolhido como representante da “alegria de viver do Rio” foi o paulista Luciano Huck, tipo de nariz adunco e voz desagradável que anima chatíssimos programas de auditório da própria Rede Globo. O que correria por trás de tanta mistificação?   
   
Badalação à parte, faz tempo que o Rio chafurda na excrescência. Já no século XIX, com a Corte instalada no Paço Imperial, o governo inglês proibiu que seus navios ancorassem no cais da cidade, considerado  pestilento. O próprio Paço e seu entorno eram tragados por um mar de lama, lixo e excrementos, acomodando uma população ociosa e mal vestida que se refinava no roubo e na malandragem. Cem anos depois, Lima Barreto, um carioca em permanente estado de revolta, anotou no “Escrivão Isaias Caminha” (livro sem o qual não se pode avaliar a ética relativista predominante no jornalismo caboclo) que, por trás de uma natureza luxuriante, o Rio submergia na desídia e na dissolução.
    
Mas o Rio atual - empenhado oficialmente na divinização do gayzismo, na liberação da droga e na radicalização da demagogia  racial – piorou muito. De fato, há pelo menos três décadas - de Brizola a Sérgio Cabral, passando por Moreira Franco e Benedita da Silva - o Rio sofre sob o tacão de governos corruptos e incompetentes, todos azeitados na prática da politiquice e na procura da manutenção do poder a todo custo. Um deles, Anthony “Trêfego” Garotinho, hoje deputado da “base aliada” em Brasília, foi denunciado pela Polícia Federal por compartilhar esquema para facilitar crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e contrabando. Já o atual mandatário, Sérgio Cabral (que se diz leitor de “O Estado e a Revolução”, do sifilítico Lênin), depois de denunciado por improbidade pelo ex-governador Marcelo Alencar – este, tido como alcoólatra -, tornou-se em pouco tempo um dos homens mais ricos do pedaço.   
    
Por que o carioca seria tão feliz? Vamos por partes. No capítulo transporte coletivo, por exemplo, a população que dele depende padece no inferno. Para os cinco milhões de usuários de seus trens, ônibus, barcas, vans e metrô, a regra geral é o convívio com a superlotação, o calor sufocante, o bodum da má conservação, colisões e atrasos que, por vezes, somam horas de tensão. Nesta agonia, o usuário se desespera. Resultado: periodicamente, após troca de socos e pontapés entre passageiros e seguranças da Central do Brasil, composições dos seus trens são incendiadas em rituais de fúria coletiva.          
    
Por sua vez, com o trânsito caótico conduzir automóvel virou um tormento. Para superar apenas dez quilômetros o cidadão enfrenta exaustivos engarrafamentos, sendo que o usuário de táxi, para além das artimanhas do trânsito, vive acuado pela bandalha de motoristas desonestos que nunca são punidos. E com um agravante: a Guarda Municipal, sem a menor preocupação com o fluir do trânsito, expropria do cidadão milhões de reais tungados pela “indústria das multas”, cuja soma, cerca de R$ 200 milhões mensais,  ninguém sabe para onde vai.
    
No item limpeza urbana, basta assinalar que mês passado a Agência TripAdvisor Internacional elegeu o Rio “uma das dez cidades turísticas mais sujas do mundo”, ao lado de Bangkok e Bombaim, urbes 100% putrefatas. Só para ilustrar, diga-se que em certas áreas da Av. Atlântica, em Copacabana, os montículos de fezes são tantos que superam em quantidade e fedor os da própria ladeira da Montanha, em Salvador, local onde o nativo deita e rola a céu aberto após engolir seu acarajé no dendê.
    
Ia escrever sobre como as badaladas UPPs – Unidades de Polícia Pacificadora – convivem com a violência e o tráfico de droga nos morros cariocas (chamados de “comunidades”), mas o espaço acabou.
    
Fica para a próxima.
 

Meninos, eu vi!


 O FEBEAPÁ, Festival de Besteiras Que Assola O País, está mais vivo do que nunca. Saravá, meu pai Sergio Ponte Preta. O nobre deputado Feliciano de Tal, chefe de uma Comissão de qualquer coisa poraí, além de declarado racista, e homofóbico convicto, o cabra é teimoso e diz que só deixa a Comissão, morto, porém resvala na gramática e aí, perdeu o tiquinho de respeito que porventura pudesse merecer. Ontem, ao querer se impor pela enésima vez na aberturas dos "trabalhos" e mais  uma vez xingado de racista, mandou prender um manifestante que teimava em se declarar “preto, pobre e gay”, (isso é que é vontade de aparecer), declarou o nobre deputa em alto e bom som:

"Democracia é isto, tem que provar que eu sou racista. Ele foi retirado do recinto e nem por isso foram tomadas medidas ÁUSTERAS". Um doce pra quem adivinhar o que seja o digamos, neologismo. HC

ESTES INGLESES SÃO REALMENTE IDIOTAS

Eduardo Almeida Reis

 Em 2003, um deputado inglês chamado Chris Huhne foi pego por um radar dirigindo em alta velocidade. Pra não perder a carteira, pois na Inglaterra é feio uma autoridade infringir a Lei, a mulher dele, Vicky Price, assumiu a culpa.

O tempo passa, o deputado vira Ministro da Energia, o casamento acaba, a Vicky decide se vingar e conta a história pra imprensa.

Como é na Inglaterra, o tal do Chris Huhne é obrigado a se demitir primeiro do ministério e depois do Parlamento.

.Na Inglaterra é crime mentir para a Justiça e ontem a Justiça sentenciou o casal envolvido na fraude do radar em 8 meses de cadeia pra cada um. E vão ter de pagar multa de 120 mil libras, uns 350 mil reais.

Segredo de Justiça? Nem pensar, julgamento aberto ao público e à imprensa.

Segurança nacional? Nem pensar, infrator é infrator.

E o que disse o Primeiro Ministro David Cameron quando soube da condenação do seu ex-ministro: 'É uma conspiração da mídia conservadora para denegrir a imagem do meu governo.' Certo? Errado.

O que disse o Primeiro Ministro David Cameron acerca do seu ex-ministro foi o seguinte: 'É pra todo mundo ficar sabendo que ninguém, por mais alto e poderoso que seja, está fora do braço da Lei.'

Estes ingleses são um bando de botocudos. Só mesmo em paísinhos capitalistas um ministro perde o cargo por mentir para um guarda de trânsito. Porque aqui neste paraíso ptista-sindicallista a Primeira Lei que um guarda de trânsito aprende é saber com quem está falando.

Clipe do Dia


O Clipe já está meio cansado. Porém é sempre muito gratificante perceber a erudição de um sábio.

quarta-feira, março 27, 2013

Ria, se puder...


 Oliveira, o gozador, vendo o vizinho do prédio ao lado, na varanda, puxou conversa:

– Aí vizinho! Quando é seu aniversário?

– Em maio. Por que?

– É que eu vou te dar uma cortina de presente pra você colocar no quarto. Não aguento mais ver você e sua esposa transando em plena luz do dia!

O outro perguntou:

– E o seu, quando é?

- Em setembro, por que?

- Vou te dar um binóculo, pra você ver direito de quem é a esposa!...

A tragédia da incompetência

Ruth de Aquino
 
Não importa mais o total de mortos na “tragédia” da serra do Rio de Janeiro. Não é insensibilidade. Numa semana de histórias lacrimejantes, de perdas e heróis, não basta lamentar o destino de milhares de famílias à beira de abismos.

Não posso comemorar que milhões ou bilhões serão gastos para recuperar encostas e reassentar desabrigados. Engrossar correntes de solidariedade não resolve. Porque não acredito mais. A sociedade não acredita mais.

No bolso de quem vão parar as verbas liberadas após enchentes, diante do rosto compungido das autoridades? O prefeito de Teresópolis foi cassado por desvio.

Quantos outros não roubaram dos que nada têm, dos que perderam tudo? Eu queria ver o governador do Rio de Janeiro e os prefeitos do Rio, de Petrópolis, Teresópolis e Friburgo submetidos a multa e julgamento. Por omissão e negligência criminosas.

Não há prestação de contas detalhada, não há transparência no gasto das verbas de emergência. Não há pressa. Uma hora a casa cai.

 


O que aconteceu na serra fluminense é um escândalo muito maior que o da boate Kiss em Santa Maria, no Rio Grande do Sul, embora o número de mortos seja inferior.

Na hora do aguaceiro, não há portas de saída para quem vive em barraco em área de risco, não há bombeiro que dê jeito. Há sorte ou azar. Os sinalizadores da natureza matam crianças, velhos, fortes, fracos.

O fogo da boate Kiss provocou maior repercussão pelo inusitado e por suas centenas de vítimas jovens de classe média e alta. As enchentes do verão são tão previsíveis que provocaram calos em nossa consciência.

Somos obrigados a ouvir a presidente Dilma Rousseff dizer, em Roma, que não houve falha no sistema de prevenção instalado em 2011 em Petrópolis? Isso é pecado, presidente. Somos obrigados a ouvir Dilma se indignar e pedir “medidas drásticas” para remoções em locais de risco?

Quem é a responsável máxima pela política de habitação no Brasil? Quem tenta mudar, na planilha, nosso índice de desenvolvimento humano?
 

Leia mais em A tragédia da incompetência

Descalabro

FALTA DE ÁGUA NO MUNDO MATA 1 CRIANÇA A CADA 15 SEGUNDOS
 

Reproduzido da revista eletrônica ÉPOCA

A cada 15 segundos, uma criança morre de doenças relacionadas à falta de água potável, de saneamento e de condições de higiene no mundo, segundo o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef). Segundo representantes de outros 28 organismos das Nações Unidas, que integram a ONU-Água, são cerca de 3,5 milhões de mortos todos os anos. 


ENQUANTO ISSO:

Habemus Aqua! Somos ricos e felizes. Para gáudio da politicalha nativa a Arena Pernambuco já tem gramado prontinho da silva para as respectivas copas. É de se notar o esbanjamento de água para regar a grama recém-plantada debaixo desse sol do bute. Todos sabem que já existe feroz racionamento. Não quero nem falar das agruras da seca que assola este Nordeste sofrido. Veja a foto abaixo. HC

Clipe do Dia


Para entender a crise mundial...

terça-feira, março 26, 2013

A Propósito - A Peregrinação


Marcelo Alcoforado
 Tão belo quanto sofisticado, o Palazzo Pamphili, edificação dos anos 1600, é sede da embaixada brasileira na Itália. Foi residência de Giovanni Pamphili, que tornado em 1644 o papa Inocêncio X decidiu viver em um palácio ainda maior, entendendo ser aquele muito pequeno para a sua grandiosidade. Quem passou a morar no Pamphilij, foi sua cunhada, a viúva Olimpia Maidalchini, que, diferentemente da presidente do Brasil, era extremamente impopular.

Quanto ao nome do palácio, as formas Pamphilj ou Pamphili, estão presentes na escrita comum italiana, conquanto a família prefira a primeira, assim como a presidente Dilma Rousseff prefere o termo presidenta.

Pois saiba que, mesmo sendo o Palazzo Pamphili uma edificação ímpar, a presidente brasileira, seguramente a par da magnitude do cargo que ocupa, no seu recente périplo papalino preferiu hospedar-se no hotel Westin Excelsior, evidentemente com despesas régias. A suíte real, aliás presidencial, custou a bagatela de R$ 7.700,00 por dia, enquanto o quarto mais barato custava R$ 910,00. Para acomodar o séquito foram nada menos do que trinta quartos no Westin Excelsior, mais 22 em hotéis da vizinhança, totalizando a ocupação de 52 quartos de hotel, isso sem falar nos 17 veículos locados. Desses, um, de altíssimo luxo era blindado, sete eram sedãs com motorista, quatro eram vans executivas com capacidade para 15 pessoas cada, um era micro-ônibus e um era destinado aos seguranças. Apenas para o transporte de bagagens e equipamentos, um caminhão-baú e dois furgões.

Somando tudo isso e multiplicando pelos três dias de permanência romana, não será difícil concluir que o cartão de crédito corporativo, enfrentou um árduo trabalho.

Então, já que infalivelmente virão futuras – e necessárias – viagens da austera presidente da República, seguem informações quanto a diárias em vários hotéis do mundo. São preços por uma noite, esclareça-se, valores de 2010, mas que não devem estar muito defasados.

Grand Resort Lagonissi, Atenas, US$ 50 mil a diária; Palms Casino Resort, Las Vegas, US$ 40 mil; Four Seasons, Nova York, US$ 34 mil; President Wilson Hotel, Genebra, US$ 33 mil; The Atlantis, Bahamas, US$ 25 mil; The Ritz Carlton, Moscou, US$ 18,2 mil; Burj Al Arab, Dubai, US$ 18 mil; Le Richemond, Genebra, US$ 17,5 mil; Four Seasons George V, Paris, US$ 16 mil; e Park-Hyatt Vendôme, Paris, US$ 15,5 mil.

Faça ótimas viagens, caríssima presidente.

Flagrante do Dia



Comovente a confiança mútua, e a lealdade entre "aliados". Viva nós!

Pensando bem, ainda bem que não!


 Repassando... Sobre a escolha do Conclave.
 
Ainda bem que não foi um papa brasileiro. Já pensaram como iria ser?

1.  As escolas de samba campeãs em SP e Rio no último carnaval, prontas para um mega desfile na Via da Reconciliação, com apoteose na Praça São Pedro;

2.  “Otoridades” brasileiras que seriam convidadas para fazer parte da comitiva presidencial: Pelé, Ronaldinho, Neymar, os participantes do BBB13, Anderson Silva, Michel Teló...

3.  O Lula seria o 1º a ir para a Basílica de São Pedro e se fazer de engraçadinho, tirando foto com a mitra na cabeça, levando de presente uma camiseta do “Coríntia” e chamando o Papa de “Cumpanhêro Papa”;

4.  Dilma e “dona” Marisa Letícia, usando vestidos com o indefectível vermelho-PT, se fazendo confundir com os cardeais;

5.  Zé Sarney disputando com Zé Dirceu o posto de Carmelengo;

6.  Marta Suplício, a tia do botox, já declarando que exigiria da
Igreja a aprovação do casamento gay (inclusive entre os membros do clero);

7.  O Vesgo e o Christian Pior fazendo piadinhas, perguntas idiotas de duplo sentido e comentários constrangedores para os cardeais, bispos e freiras que encontrassem pela frente;

8.  Roberto Carlos (de camiseta branca, paletó azul do Renato Aragão e cabelo de índio véio) iria cantar “Jesus Cristo, Jesus Cristo, eu estoooou aqui!...” abraçado com Inri Cristo. Com o delírio da plateia, daria uma palhinha e mandava ver o “Você, meu amigo de fé, meu irmão camaraaaada...”;

9.  No Brasil, os defensores da legalização do uso da maconha já estariam afirmando que “conheciam bem” aquela fumacinha branca que saia da chaminé!....

10. Maluf providenciaria a transferência daquele dinheiro
“que não é dele” para o Banco do Vaticano;

11. Collor faria promessas de acabar com os marajás da Igreja;

12. Escola de samba Unidos de Padre Miguel já anunciaria
que, no carnaval de 2014, “o Papa estará na comissão de frente”;

13. Petistas entrariam com dois pedidos: canonização para a
turma do mensalão e excomunhão do F.H.C;

14. Mas visionário mesmo, só o Maurício de Sousa, que há
muito tempo já escolhera o nome para o Papa brasileiro: CHICO BENTO!!!

Concordam que foi melhor escolher o argentino?

Clipe do Dia


Na hora do vamos ver, el tipo perdeu los pantalones

segunda-feira, março 25, 2013

Flagrante do Dia



Meu Deus, a que ponto chegamos...

Tia Zulmira está de volta

De pé, Sérgio Porto e Tia Zulmira
Sentados, Bonifácio, o Patriota, Rosamundo, o Distraído e Primo Altamirando, o Nefando Parente
Gaudêncio Torquato

O que diria Tia Zulmira, a engraçada personagem criada por Stanislaw Ponte Preta, pseudônimo do impagável cronista Sérgio Porto, no início da década de 60, ao “enchergar” (isso mesmo, com ch) numa dissertação sobre “movimentos imigratórios para o Brasil no século XXI” uma receita de Miojo e um trecho do hino do Palmeiras?

Acharia “rasoavel” (isso mesmo, com s e sem acento) as notas 560 e 500, de um total de 1000, obtidas, respectivamente, por um galhofeiro que mostrou como se faz o famoso macarrão instantâneo e por um apaixonado torcedor do Verdão?

E que nota daria ao Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, que orienta os corretores da prova a “aproveitar o que for possível”, mesmo diante da inserção de textos com evidente intenção de desmoralizar o processo corretivo?

O próprio autor da receita confessa que seu intuito era mostrar que “os corretores não lêem completamente a redação”. A velha senhora da família Ponte Preta enquadraria seguramente os personagens em questão no Festival de Besteiras que Assola o País, sempre muito farto por ocasião do periódico Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM). E aproveitaria para pinçar mais uma pérola que explica o motivo de tanta asneira naquele famigerado concurso: “o nervo ótico transmite ideias luminosas ao cérebro”.

Todos os anos, o ENEM produz extensa crônica de besteiras previsíveis. As expressões fosforescentes transmitidas por apreciável parcela dos cérebros que concorrem ao Exame deixam transparecer um estado de hibernação, para não dizer piora, do corpo educacional do país.

O Brasil continua a ocupar um vergonhoso lugar (88º) entre 127 no ranking de educação formado pela UNESCO, que é o eixo da ONU para a cultura e a educação. Há 6 anos, tinha melhor posição(72ª). Há 6 milhões de alunos no ensino superior, mas 38% não dominam habilidades básicas de leitura e escrita.

Ou seja, de 10 alunos 4 são analfabetos funcionais, conforme atesta pesquisa feita pelo Instituto Paulo Montenegro e a ONG Ação Educativa entre 2001 e 2012.

A considerar o denso programa de avaliações em todos os níveis de ensino e as campanhas que fazem loas à nossa educação, deveríamos ser um território livre de todas as categorias do analfabetismo. Se o número de analfabetos diminuiu, nos últimos 3 anos, o percentual de analfabetos funcionais - aqueles que sabem escrever o nome, lêem e escrevem frases simples, mas são incapazes de usar a leitura e a escrita em seu dia a dia – tem permanecido o mesmo.

Os dados continuam a ser desanimadores. Cerca de 75% das pessoas entre 15 e 64 anos não conseguem ler, escrever e calcular plenamente. Desse montante, 68% são analfabetos funcionais e 7% são considerados analfabetos absolutos, sem habilidade de leitura ou escrita.

Em números absolutos, o IBGE calcula existir cerca de 30 milhões de analfabetos funcionais, a maior parte vivendo nas regiões Norte e Nordeste, onde 25,3% e 30,9% habitam, respectivamente, esse compartimento.

O que mais impacta, porém, na análise da moldura social é o contraste entre o avanço de uns setores e o atraso de outros. Veja-se a situação de renda das margens, que tem aumentado, a ponto de se trombetear, todo tempo, a inserção de 30 milhões de brasileiros na classe média C e a “salvação” de outros tantos milhões que saíram da miséria absoluta. Se a desigualdade tem diminuído, não seria lógico imaginar, em sua cola, a melhoria de padrões educacionais?

Há muitos pontos obscuros no discurso que trata do fenômeno educacional. Não é um paradoxo constatar que quase 80% dos brasileiros são usuários da Internet e quase 70% possuem celular, mas o Brasil, com 401 pontos, está em uma das últimas posições do Programa Internacional de Avaliação de Alunos(Pisa), atrás de países como Trinidad e Tobago, Bulgária, México e Turquia? Lembre-se que esse programa avalia sistemas educacionais de 65 países, examinando o desempenho de estudantes na faixa etária dos 15 anos.

O que trava o sistema educacional, quando todas as áreas do ensino estão suficientemente diagnosticadas? Na Educação Básica, existe uma Provinha, a Prova Brasil e o Enem. No Ensino Superior, existe o ENADE, aliado ao Censo Escolar, a par de avaliações feitas por Comissões de Avaliadores.

Na área de Pós-Graduação, nada funciona sem o endosso da CAPES, que autoriza e reconhece os cursos. Faltam mais recursos? Os programas de formação de professores são precários e insuficientes? Como equacionar o imenso buraco provocado pela expansão da evasão escolar? Não são respostas fáceis.

Enquanto os ciclos governamentais cultuam a si mesmos, fazendo loas ao sucesso de suas políticas, o fato é que o edifício educacional apresenta rachaduras em todos os andares. Pior é ver a avalanche que sobe ao último piso. São milhares de estudantes que entram em cursos inapropriados, outros tantos que buscam um segundo diploma e mais uma leva que interrompe a trajetória no meio.

A matriz profissionalizante acaba influenciando as decisões do alunato, prejudicando a formação global, humanística, generalista, absolutamente imprescindível para a integração da pessoa num mundo em constante evolução.

Da competição desvairada por vagas em escolas de baixa qualidade, não é de surpreender o besteirol que se produz nesses polêmicos exames de avaliação. Querem saber a razão das enchentes que assolam a região serrana do Rio de Janeiro? Vejam a resposta: “É o Euninho. Que provoca secas e enchentes calamitosas”. O que se entende por arte funerária? “A arte que egípcios antigos desenvolveram para que os mortos pudessem viver melhor”. O que é ateísmo? “É uma religião anônima”. E a fé? “Uma graça através da qual podemos ver o que não vemos”.

Agora o conceito de respiração anaeróbica é mesmo de tirar o fôlego: “é a respiração sem ar que não deve passar de três minutos”. Ao sublinhar tão eloquentes “ideias luminosas”, Tia Zulmira garante que a receita do Miojo, no mais recente Enem, “trousse”, sim, elevada contribuição ao verbo desses tempos tresloucados.
 

Gaudêncio Torquato, jornalista, professor titular da USP, consultor político e de comunicação

Clipe do Dia




Xampu de macho!

domingo, março 24, 2013

A Frase do Dia


A Dieta Ideal

Walcyr Carrasco
 

Sempre estive dividido entre a volúpia de comer bem e a necessidade de me alimentar com saúde. A gula venceu boa parte das batalhas. Nunca hesitei entre um camarão ao alho e óleo e um chuchu refogado. Mas a idade aumenta e o desejo de cuidar da saúde cresce. Aboli a carne de porco há anos, depois de ter lido que era a mais prejudicial. Se algum cientista dizia, devia estar certo. Abandonei os torresminhos, as linguiças, os pernis! Em minha recente viagem ao Japão, soube que pesquisadores do mundo todo estão estudando a dieta de Okinawa. É o lugar onde mais se vive no mundo. Há gente com mais de 100 anos andando de bicicleta na rua. O que eles comem rotineiramente? Carne de porco! Quase chorei de tristeza pelo tempo perdido! Lamentei-me por todos os lombos assados que desdenhei! E os ovos? Garantiam que a gema era um veneno para o colesterol. Eu adoro ovo. Mas passei a evitar. Com a maior cara de pau, o mundo científico, faz algum tempo, anunciou o contrário: ovo faz bem! Quem me devolve as omeletes não comidas?

Durante algum tempo, para melhorar o colesterol, eu tomava “água de berinjela”. Deixa-se a berinjela na água durante a noite e bebe-se em jejum. Não há maneira mais horrenda de começar o dia. No exame seguinte, meu colesterol continuava igual. Óbvio, o culpado era eu:

— Você deve ter exagerado em outras coisas. Se não fosse a berinjela, teria piorado! — acusou-me o médico alternativo.

Já cultivei uma coisa no aquário, até hoje não sei se vegetal ou animal. Era um espécime redondo que se reproduzia em placas que se colavam umas às outras. O segredo era beber daquela água todo dia, para garantir uma vida longa, saúde perfeita e inteligência aguçada. Foi moda numa certa época. Quando penso que bebia aquilo e ainda elogiava, não entendo por que não me botaram num hospício.

E a história dos radicais livres? Partem do pressuposto de que cada célula é uma “fábrica” cujo funcionamento deixa resíduos. É preciso eliminá-los com uma boa alimentação. A tese é ótima. A vilã sempre é a carne vermelha. Aconselha- se a substituição pela soja! Assim, tentei viver à base de carne de soja! Era tão gostosa como mastigar isopor! Também incorporei leite de soja.

— Você não é um bezerro! — explicou delicadamente o tal médico. — Pare com o leite de vaca.

Depois soube que o cálcio do leite animal é importante para os ossos! Em quem acredito?

A última moda em alimentação é a quinoa. Provém dos Andes e é considerada completa em termos nutricionais. Tem sabor de nada. Achava impossível algo ter sabor de coisa nenhuma, mas é o caso da quinoa. Dia desses, estava com um amigo em uma lanchonete. Ele vive de regime. Viu no menu: sanduíche de quinoa. Aconselhei: — É um alimento maravilhoso que não engorda.

Agi com boa intenção. Talvez ele gostasse. Veio um hambúrguer de quinoa frita. Duas desvantagens de uma vez: engordava por causa da fritura e só tinha gosto do óleo em que fora mergulhado! Quase perdi o amigo!

Tudo o que é delicioso parece fazer mal: batatas fritas, hambúrgueres, refrigerantes, hot-dogs, bacon e, claro, qualquer delícia feita de açúcar!

Penso na minha avó, que cozinhava com banha de porco e quase chegou aos 90. E em outras velhas que conheci. Talvez o povo do passado soubesse algo sobre alimentação que o tempo esqueceu. No mínimo, eles não viviam estressados com tantas dietas e informações. Sentiam-se felizes por desfrutar a comida. Dietas são boas. Mas acredito que o principal ingrediente para a boa saúde é a paz de espírito.

e-mail: walcyr@abril.com.br

O DIA DA CAÇA, OU DE COMO EU DEMITÍ O MEU CHEFE!

Em 10/06/2012

Corria o ano da Graça de 1958. Cid Sampaio disputou e venceu as eleições para o governo do Estado de Pernambuco com o apoio de Luis Carlos Prestes e Gregório Bezerra, dois ícones incontestes do PCB. Em um comício na Av. Dantas Barreto os três apareceram juntos e a comunistada ensaiou uma sonora vaia quando Cid começou a falar. "Feliz é o povo que ainda pode vaiar os seus homens públicos," disse ele e a vaia morre no nascedouro.

No governo, Cid criou uma empresa mista estadual que se propunha a fabricar 27,5 mil ton/ano de um produto novíssimo. A Borracha Sintética. Para isso, além dos conchavos de sempre, Cid criou o Bônus BS, Bônus da Sorte, um adicional de 0,5% ao Imposto de Vendas e Consignações a fim de criar a Coperbo - Companhia Pernambucana de Borracha Sintética. Cada consumidor trocava o valor do Bônus BS, constante na Nota Fiscal, de qualquer compra ou transação comercial efetuada, por ações da Coperbo. Dizia-se, em tom de piada que as "Meninas da Rua do Rangel," não podendo dar o devido e competente BS, sofreram uma queda considerável na "arrecadação."

Mas de onde viria essa tão famosa fábrica? Terminamos como sempre, comprando uma sucata. Dessa vez acho que do Canadá que também conseguiu emplacar uma empresa de engenharia mecânica para entrar na montagem da planta. A empresa na realidade repassou a tarefa para a sua subsidiária brasileira e apenas se limitou a fiscalizar o bom andamento dos trabalhos.

Fui contratado como intérprete da parte brasileira, ligado à diretoria, formada por engenheiros de São Paulo. Era o "oficial de ligação" entre as duas empresas. Vivia praticamente como aquelas "sombras" que de vez em quando aparecem em programas da TV. Colado ao engenheiro chefe Dr. Pedroso, participando de reuniões de serviço com a chefia canadense, um trabalho insano. Estava tão afiado na tradução simultânea, que já podia me ver algum dia, trabalhando como intérprete da ONU.

Eis que certa segunda-feira, ah, as segundas-feiras, alguns dizem que definitivamente elas não deveriam existir - se nem a de carnaval é de boa serventia - o operador de um dos guindastes não compareceu ao trabalho, mercê quem sabe, de uma ressaca braba.

O guindaste em questão diziam, era o maior em atividade na América Latina e apenas um operador devidamente habilitado poderia manejá-lo. Mas sabe como é o brasileiro e seu famoso jeitinho. O Dr. Pedroso resolveu tudo de imediato. Mandou um outro operador absolutamente sem qualificação para aquele tipo de trabalho dar continuidade aos serviços. Não poderíamos nos dar ao luxo de um dia parados.

Resumo da ópera:

No primeiríssimo lance para apanhar um enorme tubo de aço e levá-lo para um outro local a agulha do guindaste entortou partindo-se logo em seguida. Foi uma comoção. E agora? Como sanar uma situação dessas? Todo mundo com o coração nas mãos. O que vai acontecer?

Cerca de dez ou quinze minutos depois do incidente constrangedor, a direção canadense irrompe sala adentro, o gringo chefe, Dr. Parson à frente, botando fogo pelas ventas, pergunta:

- Quem é o intérprete aqui? Respondo:

- Sou eu, Dr. Parson.

- Onde está o seu chefe?

- O Dr. Pedroso está aqui ao meu lado, senhor,

- "Tell this son of a bitch he is fired"! Embaraçado, olhei para o Dr. Pedroso e disse,

- Dr. Pedroso, portador não merece pancada, me desculpe, mas o sr. está demitido. Evidentemente o "son of a bitch" não foi traduzido a fim de evitar maiores contratempos.

Hoje, passados tantos anos pode parecer piada, mas na hora do acontecido o ambiente ficara irrespirável e a bomba não explodiu por puro milagre. O tempo passou e a fábrica continua em pé lá no canto dela e todas as vezes que a revejo a evocação desse acontecimento me vem à mente, bem como a cara aparvalhada do Dr. Pedroso, olhos esbugalhados, boquiaberto fitando o infinito, sem se dar conta talvez do que acabara de acontecer. Bons tempos em que a gente podia demitir os nossos chefes.... Bons tempos?

Clipe do Dia



Botox traiçoeiro

sábado, março 23, 2013

A Reportagem da Semana

 
"É verdade ou não é
O repórter não se engana
É uma reportagem feita
Durante a semana..."

O versinho acima era a introdução de um programa da Rádio Jornal do Commércio nos idos de novecentos e cinqüenta e lá vai fumaça. O programa dava a saber, os acontecidos da semana. Minha homenagem aos "menestreis" de antanho.
 

Domingo, 17.

Num dos quadros do programa do Faustão, ao ser entrevistada, a apresentadora Sandra de Tal, declarou alto e em bom som que, não sabe cozinhar e que se vale do marido Ernesto de Tal e mais TRÊS empregadas, que ela chama de "colaboradoras", para cuidar dos serviços da casa. Ter empregada doméstica, digo, colaboradora, é luxo, especialmente no momento em que o governo (sic), na caça aos futuros votos, manda ao congresso a regulamentação da profissão. Assim, até eu. Trabalhar na Globo continua dando o maior pé.

Segunda-feira, 18 

As chuvas recomeçaram com força total na regiao serrana do Rio de Janeiro. Até agora 10 mortos e muitos desaparecidos. ... Entra ano e sai ano ... sempre a mesma irresponsabilidade.

Terça-ffeira, 19
 

“Rasoavel”, “enchergar”, “trousse”.

Esses são alguns dos erros de grafia encontrados em redações que receberam nota 1.000 no Exame Nacional de Ensino Médio, o tal de Enem. O jornal O Globo, recebeu um catatau de mais de 30 textos enviados por candidatos que atingiram a pontuação máxima, com a comprovação das notas pelo Ministério da Educação e a devida confirmação pelas Universidades Federais em que os estudantes foram aprovados. Além dos absurdos acima, várias redações continham graves problemas de concordância verbal, acentuação, pontuação, bem como, receita de macarrão Miojo e o Hino do Palmeiras...

Adendo: No Jornal Hoje na tarde do mesmo dia o apresentador Evaristo de Tal ao comentar o absurdo lascou "e o verbo trousse não é com dois esses, mas com xis! Ô cavalgadura, não existe o verbo "Trouxe" e sim o Pretérito Perfeito do Verbo Trazer.

Os mortos da região serrana já contam 19. 

Quarta-feira, 20

Líder do MST chorou Chávez por nossa conta

O porralouca João Pedro Stédile líder do MST também deu uma de sabido e integrou a comitiva de “caroneiros” que foram chorar o bufão Hugo Chávez por nossa conta em Caracas. Na companhia de sete deputados de “esquerda”, Stédile embarcou num jatinho extra cedido pela Presidência da República “a pedido do Congresso”, sem constar da lista de convidados oficiais publicada no Diário Oficial. Pode? Pode. Em Pindorama tudo pode.

Morre o cantor Emílio Santiago. Pena! Lembro quando ele iniciou cantando nos programas de Flávio Cavalcanti na década de setenta. Bela figura, bela voz. Vai em paz, Negão.

Quinta-feira, 21
 

Franciscano

O vice-presidente do país mais rico e poderoso do mundo, Joe Binden, que é católico, chegou domingo a Roma com irmã, filha e assessores no Air Force One. Se hospedaram na Embaixada Americana. Bando de Pobretões.

As chuvas continuam. As mortes chegam a 27

Sexta-feira, 22

O pedreiro João Batista Novaes, de 51 anos, morador de Piracicaba (SP), foi assaltado e agredido em uma estrada de Rio das Pedras (SP) enquanto peregrinava a caminho de Pirapora do Bom Jesus (SP). Ao parar em uma bica para descansar e beber água, o romeiro foi surpreendido por dois homens armados com pedaços de pau. A dupla o feriu na cabeça e no braço direito e roubou R$ 500. Novaes levava uma cruz de 80 quilos para pagar uma promessa e homenagear as vítimas do incêndio da boate Kiss, em Santa Maria (RS).

Sabe aquele maluco que atropelou o ciclista em São Paulo, e jogou o braço decepado no Rio, pois é, tá na rua. A médica criminosa daquela UTI do Paraná, também.

Vade retro Satan

Considerado um dos maiores traficantes do país, o Fernandinho Beira-Mar começou a cursar a faculdade de teologia no presídio federal de Catanduvas (PR), onde cumpre pena atualmente. Aprovado no vestibular da FTBP (Faculdade Teológica Batista do Paraná), Beira-Mar realizará o curso à distância, por meio de apostilas.


Neologismo
No jornal da TV Globo à tarde uma apresentadora bonitina mas burrinha, ao comentar a proibição do IPHAN para a construção de um túnel na Madalena falou que a entidade "Interdiu" a obra. O certo, minha santa, é "Interditou". A "Ùltima Flor do Lácio Inculta e Bela" penhorada agradece, pela criação do neologismo. Jesus amado, onde é que eu fui amarrar a minha jumenta...

Pois é. Enquanto tudo isso acontecia, a região serrana do Rio se dissolvendo ao sabor das chuvas e da irresponsabilidade, a sargentona se mandou pra Roma fazer farol com o Papa Francisco e gastar nosso pobre dinheirinho na maior farra dos últimos tempos. As chuvas diminuíram e o total dos mortos continua a ser contabilizado. Até agora 34 vítimas e dezenas de desaparecidos.

Hoje, sábado, 23 de Março de 2013, o Zé Dirceu, junto com o Genoino, o Paulo Cunha, Delúbios et caterva continuam à solta. Saravá, meu Pai.

Chico Menino


 Um ano hoje que o Chico Anyzio subiu. O humor brasileiro continua em baixa. E por baixo. Para lembra-lo, republicamos este auto-retrato inédito onde o humorista relembra um menino tímido, calado, subnutrido e de grande olhos. Saudade  de vocês, Chicos. HC
 

Num Natal, já faz alguns anos, Chico Anysio escreveu um texto e pensou em usá-lo na TV Globo. Acabou não fazendo isso. Trata-se de um texto autobiográfico, em que o humorista — que morreu na sexta-feira passada, aos 80 anos — relembra o menino que um dia foi.

Apesar do tom melancólico e triste, há uma passagem bem-humorada, quando ele diz que o mundo pode ser um inferno ou uma badalação, dependendo se ele é visto pelo escritor e dramaturgo Nelson Rodrigues ou pelo novelista Gilberto Braga.

O texto mostra o Chico Anysio já adulto procurando pelo Chico Anysio ainda criança, um menino de 11 anos, comum, tímido, com grandes olhos, "desproporcionais ao tamanho do rosto". Nessa busca, ele relembra um amor não correspondido, os brinquedos de infância, as roupas de época, os sentimentos de então. Um autorretrato revelador e inédito de um grande gênio do humor nacional.

 

"Vou fazer um apelo. É o caso de um menino desaparecido.

Ele tem 11 anos, mas parece menos; pesa 30 quilos, mas parece menos; é brasileiro, mas parece menos.

É um menino normal, ou seja: subnutrido, desses milhares de meninos que não pediram pra nascer; ao contrário: nasceram pra pedir.

Calado demais pra sua idade, sofrido demais pra sua idade, com idade demais pra sua idade. É, como a maioria, um desses meninos de 11 anos que ainda não tiveram infância.

Parece ser menor carente, mas, se é, não sabe disso. Nunca esteve na Febem, portanto, não teve tempo de aprender a ser criança-problema. Anda descalço por amor à bola.

Suas roupas são de segunda mão, seus livros são de segunda mão e tem a desconfiança de que a sua própria história alguém já viveu antes.

Do amor não correspondido pela professora, descobriu que viver dói. Viveu cada verso de "Romeu e Julieta", sem nunca ter lido a história.

Foi Dom Quixote sem precisar de Cervantes e sabe, por intuição, que o mundo pode ser um inferno ou uma badalação, dependendo se ele é visto pelo Nelson Rodrigues ou pelo Gilberto Braga.

De seu, tinha uma árvore, um estilingue zero quilômetro e um pássaro preto que cantava no dedo e dormia em seu quarto.

Tímido até a ousadia, seus silêncios grita nos cantos da casa e seus prantos eram goteiras no telhado de sua alma.

Trajava, na ocasião em que desapareceu, uns olhos pretos muito assustados e eu não digo isso pra ser original: é que a primeira coisa que chama a atenção no menino são os grandes olhos, desproporcionais ao tamanho do rosto.

Mas usava calças curtas de caroá, suspensórios de elástico, camisa branca e um estranho boné que, embora seguro pelas orelhas, teimava em tombar pro nariz.

Foi visto pela última vez com uma pipa na mão, mas é de todo improvável que a pipa o tenha empinado. Se bem que, sonhador de jeito que ele é, não duvido nada.

Sequestrado, não foi, porque é um menino que nasceu sem resgate.

Como vocês veem, é um menino comum, desses que desaparecem às dezenas todos os dias.

Mas se alguém souber de alguma notícia, me procure, por favor, porque... ou eu encontro de novo esse menino que um dia eu fui, ou eu não sei o que vai ser de mim."

Clipe do Dia


Faroleiros da Bretagne
 

Que tal ser faroleiro na França? Trabalho calmo, tranquilo, paisagem deslubrante. A única atividade diária é ligar e desligar a iluminação e avisar a autoridade portuária quando estiver faltando combustível no farol. Na pontinha da Bretanha, França, onde o mar não é brincadeira, bem no encontro das águas do Atlântico com as do Canal da Mancha, foram construídos os mais incríveis faróis para segurança da navegação na região. A violência do mar naquela extensa área explica o naufrágio da "Invencível Armada da Espanha", que passava toda prosa para atacar a Inglaterra, há cerca de 200 anos. Durante a Segunda Guerra Mundial, os submarinos do mequetrefe Adolfo, do bigodinho de Carlitos comeram da banda podre por alí. Difícil entender como os franceses conseguiram construir os faróis em meio à fúria das ondas e como os faroleiros conseguem sobreviver em total isolamento. Reclama do teu emprego!!!!.

sexta-feira, março 22, 2013

É uma "Cícera!"

Quosque tandem abutere, Catilina, patientia nostra? Por quanto tempo ainda há-de zombar de nós essa tua loucura? A que extremos se há-de precipitar a tua audácia sem freio?
 



O Português clássico e claro da presidentA.
 

“O papa eu irei lá em Roma, eu comparecerei lá em Roma, na medida em que me convidaram, e o Brasil é um país que tem uma população católica muito expressiva e eu acredito que será importante eu, enquanto presidente – e eu não tô falando aí enquanto pessoa, porque enquanto pessoa eu fui criada na Igreja Católica – mas eu tô representando aí enquanto presidente essa população católica do nosso país.”
   

Jornal da Aliança


Opinião Econômica - Francisco “habemus papam”

Nizan Guanaes
 

FOLHAPRESS/JC

Que coisa mágica é a vida. Estava eu chegando a Buenos Aires na semana passada para uma reunião de trabalho e jamais poderia imaginar que estivesse ali naquele dia para presenciar a mão do Espírito Santo e da história.

Saí do Aeroparque, o belo aeroporto ribeirinho da capital argentina, e fui até o meu hotel trocar de roupa antes de minha reunião. Liguei a televisão e, para a minha surpresa, o Papa já havia sido escolhido.

Durante a próxima hora, eu e o mundo esperamos para ver que novo Papa a fumaça branca nos traria. E eis que ele chegou. Surpreendente como é a vida. Um argentino. E eu em Buenos Aires.
 

Começava ali uma aula de comunicação para o mundo que resume e mostra de maneira instintiva tudo o que os teóricos enchem a paciência e perdem um tempo enorme para explicar: a comunicação de 360 graus.

O cardeal Jorge Mario Bergoglio mostrou sem PowerPoint nem lero-lero como uma palavra pode mudar tudo, como um nome pode ser capaz de transmitir para o mundo todo uma mensagem tão poderosa e precisa.

A palavra é Francisco. Francisco é uma palavra rica de significados num mundo pobre de significado.

Francisco quer dizer coma moderadamente num mundo obeso. Francisco quer dizer beba com alegria num mundo que enfia a cara no poste. Francisco quer dizer consumo responsável em sociedades de governos e consumidores endividados. Francisco quer dizer o uso responsável do irmão ar, do irmão mar, do irmão vento e de todas as riquezas debaixo do irmão Sol e da irmã Lua.

Francisco é um freio de arrumação não só na Igreja Católica Apostólica Romana, mas na sociedade a quem ela deve guiar. Em 24 horas, Bergoglio pegou uma instituição que estava emparedada e a tirou da parede, transportou-a dos intramuros do Vaticano para o meio da rua, para o meio do rebanho.

Comunicar é o papel da Igreja. Para isso, foram escritos o Velho Testamento e o Novo Testamento, e Jesus não deixa dúvida quando disse aos apóstolos: “Ide e anunciai o Evangelho”.

Ide, ao contrário do que faz a gorda Cúria Romana, quer dizer ir, não quer dizer ficar em Roma. Quer dizer ir e anunciar.

E anunciar hoje é muito mais do que o comercial de 30 segundos. Anunciar hoje é usar todas as ferramentas disponíveis, todos os pontos de contato com seu público. Papa Francisco sabe disso muito bem.

Tanto sabe que, muito antes de se apresentar ao mundo na sacada do Vaticano, baixou um Steve Jobs nele, e, quando o monsenhor veio lhe oferecer uma veste toda rebuscada, Francisco Jobs retrucou: “Se o senhor quiser, pode vesti-la, monsenhor, eu, não. O carnaval acabou”.

É digno de reparo que Francisco não fez pesquisas nem testes antes de criar tudo isso. Não precisava. Foi buscar sua mensagem no DNA da Igreja. E está escrevendo certo por linhas tortas.

Mesmo as coisas conservadoras que têm dito, coisas com as quais eu pessoalmente não concordo, são muito relevantes. A Igreja não pode querer agradar a todo mundo. Ela tem que marcar territórios e significar coisas, e, ao fazê-lo, naturalmente exclui almas de seu rebanho.

Marca, design, conduta, relações públicas, endomarketing, alinhamento interno: “habemus papam”.

Francisco se utilizou de todos os recursos do marketing para passar sua mensagem rapidamente, com alto impacto e precisão, para o público interno e para o público externo.

Parece até que o 3G Capital assumiu o comando da Igreja. Choque de gestão, orçamento base zero, alinhamento com a cultura perdida, volta às raízes, fé no trabalho, administração franciscana e disciplina de jesuíta de Santo Inácio e professor Falconi.

Paradoxalmente, Francisco hoje acredita numa gestão mais parecida com Lutero do que com a tradição romana. Mas a Igreja só teve que se enfrentar com Lutero porque, ao longo do tempo, se esqueceu da palavra Francisco.

Publicitário e presidente do Grupo ABC

Clipe do Dia


Juro que não é implicância...

quinta-feira, março 21, 2013

A Frase do Dia

 
 "O homem não nasceu para ser grande. Um mínimo de grandeza já o desumaniza. Por exemplo: — um ministro. Não é nada, dirão. Mas o fato de ser ministro já o empalha. É como se ele tivesse algodão por dentro, e não entranhas vivas".

Habemus Flavius...


Alguém lembra do Flávio Cavalcanti? Pois é, não morreu. Virou Papa...

A Farra em Roma

Comitiva usa 52 quartos e 17 carros

DO ENVIADO A ROMA,
FABIANO MAISONNAVE

A viagem de três dias da comitiva da presidente Dilma Rousseff para a missa inaugural do papa Francisco, em Roma, envolveu o aluguel de 52 quartos de hotel e 17 veículos, segundo informações obtidas pela Folha.

Dilma, quatro ministros, assessores mais próximos e seguranças se hospedaram no hotel Westin Excelsior, na Via Veneto, um dos endereços mais sofisticados de Roma, num total previsto de 30 quartos.


Um deles foi transformado em escritório para a Presidência da República.

A diária da suíte presidencial custa cerca de R$ 7.700, enquanto o quarto mais barato fica por R$ 910.
 

Os outros 22 quartos, para pessoal de apoio, ficaram em local próximo.

A presidente não quis ficar na residência oficial da Embaixada do Brasil, instalada num amplo palacete no centro histórico de Roma e que costuma receber mandatários do país.

Foi o caso do ex-presidente Lula, em 2005, quando participou do funeral do papa João Paulo 2º.

Segundo a assessoria da Presidência, Dilma prefere hotéis por facilitar a rotina de trabalho.

No caso específico de Roma, outro motivo é que a representação brasileira está temporariamente sem embaixador.

Já a frota alugada inclui sete veículos sedan com motorista, um carro blindado de luxo, quatro vans executivas com capacidade para 15 pessoas cada, um micro-ônibus e um veículo destinado aos seguranças.

Apenas para o transporte de bagagens e equipamentos, Dilma contou com um caminhão-baú e dois furgões.

A presidente chegou no domingo à tarde em Roma, quando aproveitou para visitar duas igrejas históricas.

Anteontem, visitou uma exposição do pintor italiano Ticiano, se reuniu com o ex-ministro de Lula José Graziano da Silva, diretor-geral da FAO (organização da ONU para agricultura e alimentação) e com o presidente da Itália, Giorgio Napolitano, que está em fim de mandato.

Ontem, Dilma participou da missa inaugural de Francisco e se reuniu brevemente com o presidente da Eslovênia, Borut Pahor, país europeu de cerca de dois milhões de habitantes.

Também teve uma breve reunião com a presidente da Argentina, Cristina Kirchner, que não estava prevista e durou cerca de 15 minutos.

O teor da conversa não foi revelado.

Hoje, Dilma terá uma reunião bilateral com Francisco pela manhã e logo embarca de volta para o Brasil.

Clipe do Dia



Roman Holiday

quarta-feira, março 20, 2013

Louro José está em campanha


Ilimar Franco, O Globo
 

O Louro José, personagem do programa “Mais você”, da TV Globo, saiu-se com esta ontem, lá pelas nove horas da manhã: “Eu gosto da presidente Dilma!” A apresentadora Ana Maria Braga concordou, e o papo seguiu. O “Mais você” é o líder de audiência no horário. Atinge em média 504 mil domicílios em São Paulo, segundo o Ibope de 22 de fevereiro último.

Millorianas

Que elites, que esquerda?

João Ubaldo Ribeiro

A cada instante, e cada vez mais, somos alvejados por milhares de informações de todos os tipos, muitas delas procurando, como consequência final, alterar nosso comportamento, seja para pormos fé nas lorotas pseudoestatísticas e conceituais que nos pregam os fabricantes de remédios, pastas de dentes e produtos de farmácia em geral, seja para acreditarmos que determinado partido político, ao pedir com fervor nossa adesão, realmente tem alguma identidade que não seja a que lhes emprestam seus tão frequentemente volúveis caciques. 

Aparentemente, nossos cérebros se defendem de ser entulhados com essa tralha e grande parte dela é esquecida. Em relação à política, talvez nossa situação possa ser até descrita em termos mais drásticos. As afirmações mais estapafúrdias são divulgadas e ninguém se preocupa em examiná-las.
 

Por exemplo, esse negócio de o governo ser de esquerda. Só se querem dizer que a maior parte do nosso cada vez mais populoso bando ministerial é constituído de canhotos. O presidente Lula, que não quis ser presidente emérito e prefere continuar sendo presidente perpétuo mesmo, já disse - e creio que com sinceridade - que não é, nem nunca foi, de esquerda e que não usa mais nem a palavra "burguesia". E que é que o governo fez que caracterize uma posição de esquerda? Apoiar Chávez com beijos e abraços, ao tempo em que respalda os bilhões de dólares de negócios brasileiros na Venezuela? Manter boas relações com Cuba, o que não quer dizer nada em matéria de objetivo político? Ser da antiga turma que combatia o governo, no regime militar? E já perguntei aqui, mas pergunto de novo: o PMDB é de esquerda? Quem é esquerda, nesse balaio todo? Furtar, desviar, subornar, corromper são de esquerda? Zelar por valores éticos e morais é de direita?
 

É gritaria da direita reclamar (e pouca gente reclama) do descalabro inacreditável em que se tornaram as trombeteadas obras do rio São Francisco, hoje uma vasta extensão de ruínas e destroços, tudo abandonado ao deus-dará, em pior estado do que cidades bombardeadas na Segunda Guerra? Ou o que está acontecendo com a Petrobrás, que, da segunda posição entre as petrolíferas, despencou para a oitava e pode despencar mais, acrescida a circunstância de que ninguém explica direito qual é mesmo a situação do hoje já não tão radioso pré-sal? E combater a miséria nunca foi de esquerda ou direita. Ter altos índices de popularidade tampouco.
 

Também se diz que as elites dominantes querem derrubar o governo. Que elites dominantes? A elite política, que se saiba, é a que exerce o poder político. O Poder Executivo é exercido pelo governo que está aí e que, presumivelmente, não atua contra si mesmo. O Poder Legislativo está sob o controle da base do governo. E o Judiciário, por mais que isso seja desagradável aos outros governantes, não pode associar-se à ação política no sentido estrito. Já as elites econômicas não parecem empenhadas em subverter uma situação em que os bancos têm lucros nunca vistos, conforme o próprio presidente perpétuo já frisou, e as empreiteiras estão muito felizes e, convocadas pela presidente adjunta, prometeram fazer novos investimentos. Qual é a elite conservadora que está descontente e faz oposição ao governo? É justamente o contrário.
 

Finalmente, temos a imprensa golpista. Que imprensa golpista? Que editorial ou comentário pediu golpe? Comportamento golpista é o de quem acusa o Judiciário de ser agente de armações politiqueiras, quem chega a esboçar desobediência a ordens judiciais, quem se diz vítima de linchamento, quando foi condenado em processo legítimo e incontestável. A imprensa sempre se manifesta contra o desrespeito à Constituição e a desmoralização das instituições democráticas e tem denunciado um rosário sem-fim de ações lesivas ao interesse público. Golpista é quem busca silenciá-la ou controlá-la, não importa que explicações se fabriquem e que eufemismos inventem.

Cinismo!


HOJE, DOIS ANOS E DOIS MESES DEPOIS, A REGIÃO SERRANA CONTABILIZA ATÉ AGORA 27 MORTOS, MAS O RIO DE JANEIRO TEM UM MARACANÃ DE QUASE 
R$ 1 BILHÃO!

O Ridículo do Dia

E aqueles que tem uma medalha na altura do joelho, numa delas está escrito:


"Continua na próxima farda..."


A dança mais sexy do cinema de todos os tempos


O cinema, em especial o cinema americano, desaprendeu a contar uma bela história. Mais fácil apresentar 486 homicídios em cinco minutos e despedaçar 1237 automóveis num piscar de olhos. Apresento pois, aos saudosistas de plantão um dos momentos mais quentes do cinema: Kim Novak e William Holden dançando "Moonglow" no filme "Picnic". Nos primeiros quadros, você vê uma jovem Susan Strasberg, filha do conhecido professor de drama Lee Strasberg do "Actor's Studio". William Holden tinha então 37 anos e temia fazer o papel de Hal - Kim Novak tinha metade da sua idade. Curiosidade: Holden teria ficado muito nervoso na hora de dançar Moonglow. "Eu não ficaria nervoso, desde que eu não tivesse Kim Novak em meus braços", disse. A fita foi realizada em Cinemascope na década de 50. HC

terça-feira, março 19, 2013

FILMES DE LULA GONZAGA EM EXIBIÇÃO NO MINC


Os curtas metragens COTIDIANO, IGARASSU e DESENHANDO CULTURAS dirigidos por Lula Gonzaga, foram exibidos nesta terça feira  13 em duas sessões no CINE É PROIBIDO COCHILAR  na sede do Minc Regional Nordeste, as sessões no MinC, são realizadas com exibição de filmes e vídeos brasileiros e nestes meses de de março e abril as exibições são com produções de cineastas pernambucanos.

http://pontocinemadeanimacao.blogspot.com/

http://cineanimaitinerante.blogspot.com/

Facebook: lulagonzaga@gmail.com e cinemadeanimacaodivulgacao@gmail.com

La Famiglia

 Nono foi hospitalizado e os filhos, netos e bisnetos vieram de todos os cantos do mundo. Os médicos deixaram que os parentes o levassem para sua casa, para cumprir seu último desejo: O de morrer em casa, ao lado de seus queridos. Foi para o quarto e as visitas foram se revezando para consolar e confortar o Nono em seu derradeiro momento.

De repente o Nono sentiu um aroma maravilhoso que vinha da cozinha. Era a Nona tirando do forno uma fornada de pastiére de grani italiani. Os olhos do Nono brilharam e ele se reanimou. Então, o Nono pediu ao bisneto que estava ao lado da cama:

- "Piccolo mio, vai na cojina e pede um pedaxo de pastiére pra Nona."

O guri foi e voltou muito rápido.

- "E o pastiére?" - perguntou o Nono.

- "A Nona disse que no!"

- "Ma per que no, porca miséria, ma que vecchia disgraciata! Que qüesta putana falô?"

- "A Nona disse que é pro velório!"

Gente Fina é Outra Coisa



Dilma preferiu um hotel de luxo à bela embaixada brasileira em Roma.

Hospedada desde domingo (17) no cinco estrelas The Westin Excelsior em Roma, para ver o Papa, Dilma e camarilha bem que poderiam ter seguido a orientação de Francisco e economizado na ostentação dos cofres públicos, hospedando-se na magnífica embaixada do Brasil em Roma, o palácio Doria Pamphili, do século XV. A diária na suíte mais simples, no Westin Excelsior, hotel de celebridades, custa a bagatela de R$ 6 mil.

E quem paga a conta? Eu, tu, ele, nós, vós, eles...

Custo a acreditar que neste magnífico Castelo não houvesse sequer um lugarzinho onde se pudesse armar uma rede para a sargentona e sua entourage. HC


Nada de cotas

Jovem pobre que passou em direito na UFPE recebe oferta de trabalho. Higor Alves, 17 anos e egresso de escola pública, passou em 2º lugar no vestibular sem optar pelo sistema de cotas

 / Foto: Guga Matos/JC Imagem
Foto: Guga Matos-JC Imagem
Apenas um dia depois de ter sua história veiculada no JC, o estudante Higor Alves, 17 anos, já tem duas propostas de trainee em advocacia para analisar. Egresso de escola pública, ele passou em 2º lugar em direito no vestibular 2013 da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), sem optar pelo sistema de cotas, inédito na instituição.

“Muitos não sabiam das minhas condições de vida e estudo. Venho distribuindo currículos em algumas empresas, desde que terminei o ensino médio. Minha prioridade é trabalhar num lugar que me dê tempo para estudar, que tenha bons profissionais e remuneração justa pelas atividades que vou desenvolver”, determina o garoto.

Carlos Harten, sócio-diretor do escritório de advocacia Queiroz Cavalcanti, deseja que o rapaz ingresse no programa de trainee do grupo. “Teremos uma conversa hoje. Sua simplicidade, dedicação e capacidade de organização chamaram nossa atenção. Espero que aceite o convite. Se mostrar desenvoltura e aptidão, certamente integrará nossa equipe, assim que concluir o curso”, garante.

Durante o estágio, Higor terá direito a remuneração, vale de transporte, plano de saúde e vale alimentação. Hoje, cerca de 160 estagiários e 200 advogados atuam na Queiroz Cavalcanti.
O escritório de auditoria BVC também está interessado no universitário. “Higor se destacou no vestibular porque teve perseverança e objetivo. Terá a mesma formação que eu e Bernardo Santos, fundador da nossa empresa. Preferimos preparar nossos colaboradores em “casa” a contrata-los prontos”, afirma o diretor de desenvolvimento corporativo Felipe Melo França.

A ideia é que Higor comece na empresa júnior Bevilaqua, da Faculdade de Direito do Recife, parceira da BVC. Depois que ganhar experiência, passaria a atuar no escritório, com bolsa de estágio acima do mercado, auxílio alimentação e auxílio transporte.

Além da vaga na UFPE, Higor também garantiu lugar no curso de Direito da Universidade Católica de Pernambuco (Unicap), pelo Programa Universidade para todos (Prouni). Ele venceu o processo seletivo e conseguiu bolsa integral de estudos. No último domingo, a Reportagem alertou para a documentação exigida pelo governo federal nos sistemas de cotas. Na página eletrônica do Programa Universidade para Todos (Prouni), há uma relação com pelo menos 60 documentos. 

Publicado em 18/03/2013 - JC On Line